09-09-2017

A Imaginando, finalista do nosso Prémio 2016 com o seu software comercial para música eletrónica, tem um novo projeto artístico e performativo: depois da Harpa Laser, chega a Caixa de Música Digital. Do laser à manivela, do móvel vintage à música digital, unem-se tempos. 
 
Dar musicalidade ao sonho é uma capacidade extraordinária da IMAGINANDO. O próprio nome desta startup de Braga estabelece o compromisso com paisagens oníricas. E os projetos vão indicando que sim: depois de a empresa de Nuno Santos apresentar em 2015 a Harpa Laser, surpreende agora com a Caixa de Música Digital. A dar forma ao conceito, um móvel vintage e a memória das velhas caixinhas de dar à manivela. Pensem numa espécie de realejo, mas juntem-lhe tecnologia e criação musical.

Há projetos que não se explicam, experienciam-se. Este é melhor ouvir e ver. Se possível, tocar. Apelando a vários sentidos, este instrumento de caráter performativo é uma proposta sensorial que toca nas cordas das emoções. Era essa a intenção de Nuno Santos, que desenvolveu este projeto artístico para a Noite Branca 2017, realizada no início deste mês em Braga. O público assistiu: feixes de laser pulsavam com os acordes do baixo recriado nesta “caixa-surpresa”. É a multidisciplinaridade que torna esta criação ainda mais fascinante – isso e a possibilidade de se poder desencadear sonoridades que podem levar a Mozart ou aos Metallica, por exemplo.

As comuns e antigas caixas de música terão sido o rastilho da ideia. E se em vez de uma caixa fosse um móvel? Depois juntou-se a manivela, o processo mecânico que neste projeto surge para alcançar o som, todo gerado de modo digital e através de tecnologia desenvolvida de raiz pela Imaginando. Apetece dizer: perfeito.

Com esta Caixa, a startup “afirma mais uma vez a sua missão de unir a música e a tecnologia por forma a criar experiências musicais inspiradoras”.

Como explica o fundador da Imaginando, empresa incubada na Start Up Braga, “o denominador comum entre a Caixa de Música Digital e a Harpa Laser é o facto de usarem a tecnologia da Imaginando para produzir som”. Tecnologia essa, aliás, que está por detrás do DRC, um sintetizador áudio desenvolvido por Nuno Santos que funciona em todas as plataformas - desktop (Windows & Mac) e mobile (iOS & Android) - e que já foi usado pela Google no seu evento anual (Google I/O) para demonstrar as capacidades áudio do Android.

Link para o vídeo:
https://www.youtube.com/watch?v=1fTMMwI4b4I
OUTRAS NOTÍCIAS
Uma década a premiar as Indústrias Criativas

Uma década a premiar

as Indústrias Criativas

Life in a Bag a semear por todo o lado

Life in a Bag a

semear por todo o lado

As grandes capitais já conhecem este tapete

As grandes capitais

já conhecem este tapete

Dá visibilidade ao teu programa de dança

Dá visibilidade ao

teu programa de dança

Escola de Startups do UPTEC chega à 10.ª edição

Escola de Startups do

UPTEC chega à 10.ª ediç...

Estes são os vencedores do Prémio!

Estes são os

vencedores do Prémio!

O CLAB convida-te para Serralves

O CLAB convida-te

para Serralves

Reutilizar e poupar com Book in Loop

Reutilizar e poupar

com Book in Loop

MAIS NOTÍCIAS  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22